De aluna a empresária: A história de Sucesso de Glaucia Domenico, franqueadora Kumon!

“Você tem que ter prazer naquilo que faz, tem que entender o propósito e trabalhar feliz, senão não vale a pena. E isso se estende também à sua equipe. Motivação e treinamento quase diário é essencial para o resultado”. 

Gláucia Domenico começou sua história com o Kumon aos 11 anos, quando começou a estudar na unidade de sua mãe, no interior de São Paulo, na cidade de Poá. E, quando se formou pedagoga, já com o sonho de ser orientadora no Kumon, montou sua unidade, no ano de 2002, no estado de Roraima, aos 22 anos. “Há 16 anos atrás, me tornei orientadora e assumi a unidade de Boa vista (RR) que já operava com cerca de 70 alunos. Com investimento inicial de R$20 mil, pois o plano de negócios era um pouco diferente do que é hoje. E, em menos de um ano, já tinha quase 200 alunos”, recorda.

Lembra que a maior dificuldade que tinha na operação, nessa época, era a demora em receber o material didático. Eram três meses para cada malote. “O problema era planejar ‘onde o aluno iria estar nesse prazo’, e qual material iria precisar”, recorda. A logística, hoje, já melhorou, e, para sua região, o prazo médio é de um mês. Diferente da maioria da rede onde os prazos são de um a três dias. Mesmo assim, caminha a passos largos para seu objetivo maior, que é “desenvolver cada vez mais crianças de forma plena”. E isso tem se concretizado, tanto que quase 100% das novas matrículas acontecem diretamente via indicação dos próprios alunos ou de suas escolas, segundo a franqueada. “Nos orgulhamos em ser a maior unidade da América do Sul, e a 22a maior do mundo, dentre as mais de 25 mil unidades da rede mundial. Com aproximadamente mil alunos, nossa meta a curto prazo é atingir a marca de 1200 e de manter Boa Vista como uma das melhores franquias da rede em relação a qualidade. Nos últimos seis anos, nos mantivemos entre o primeiro e o terceiro lugar nesse ranking, e, mesmo quando alcançarmos os dois mil alunos até o ano de 2020 é nesse patamar que pretendo estar. Temos trabalhado para isso, focando, inclusive, a retenção de alunos, e acabamos também de concluir a ampliação de nossa unidade, que agora comporta receber até 2.500 alunos, o que nos colocaria como a maior unidade do mundo.

Com faturamento bruto em torno de R$220mil, Gláucia coloca a satisfação pessoal e profissional como seu maior bem, “amo muito o que eu faço! A oportunidade de desenvolver alunos de todas as idades, desde a criança que está iniciando sua vida, adolescentes, até um aluno que foi alfabetizado aos 92 anos. Cada um no seu ritmo, esse é meu dia a dia com o Kumon”, comemora.

A empresária ainda reforça a importância da troca de experiências e a união de todo o grupo envolvido na rede. Desde as colegas orientadoras, franqueadas de outras unidades, até a equipe de suporte regional da filial Belém, e os colaboradores da matriz Brasil e mundial, “somos um grupo muito unido, todos focados na missão de desenvolver pessoas, trabalhar no Kumon é incrível, sou muito grata”, finaliza. 

O ‘recado’ que a empreendedora dá àqueles que pretendem abrir seu próprio negócio, seja ele na área da educação, ou não, é amar o que se faz. “Você tem que ter prazer naquilo que faz, tem que entender o propósito e trabalhar feliz, senão não vale a pena. E isso se estende também à sua equipe. Motivação e treinamento quase diário é essencial para o resultado”. 

15

Copyright © 2018 - Revista Franquia