Carlos Wizard investirá R$ 150 milhões em cinco anos na expansão da marca Topper

 
Após anunciar a aquisição de 22,5% da Topper na Argentina, a BR Sports - empresa especializada em marcas esportivas de Carlos Wizard Martins – colocará em prática um plano de expansão internacional da marca, que é reconhecida como especialista em futebol. O objetivo é investir pelo menos R$ 150 milhões nos próximos cinco anos, para levar a Topper para novos mercados nas Américas, Europa e Ásia.
 
“A compra dos ativos na Argentina nos permitirá competir em novos mercados. O objetivo é iniciar a expansão da marca imediatamente em outros países da América do Sul, como Chile, Uruguai, Colômbia e Peru, contando com bons parceiros locais”, afirma Charles Martins, Presidente do Conselho de Administração da BR Sports.
 
“Em um segundo momento, a expansão para os países europeus, Estados Unidos e China também está nos planos, inclusive por meio de patrocínio a clubes, estratégia que a Topper vem implementando com sucesso no Brasil”, ressalta. Atualmente, a Topper é parceira de 12 clubes do futebol nacional, sendo cinco da série A e cinco da série B do Campeonato Brasileiro, além de fornecer as bolas das séries B, C e D do torneio.
 
A aquisição também possibilitará o intercâmbio de conhecimento e produtos entre as operações brasileira e argentina da Topper. “Traremos para o Brasil alguns dos sucessos da marca na Argentina, onde a Topper é líder de mercado e comercializa mais de 5 milhões de pares de calçados por ano”, afirma Martins.
 
Novo modelo de atuação no Brasil
 
Com o objetivo de ampliar, ainda mais, o alcance de Topper e Rainha, a BR Sports passará a atuar no Brasil no modelo de licenciamento das duas marcas para fornecedores referendados e capacitados para atender todo o mercado nacional.
 
De acordo com Charles Martins, a empresa já vinha se preparando para atuar neste modelo, que é bem parecido com o modelo de franquias, DNA da família Martins.
 
“O modelo de licenciamento permitirá que a BR Sports mantenha o foco no desenvolvimento de produtos inovadores e no fortalecimento das marcas, transferindo as atividades de produção e comercialização para as fábricas licenciadas. Dessa forma, haverá uma otimização de conceitos como logística e o atendimento ao consumidor que passará a ser realizado pelos licenciados”, explica.
 
Sobre a BR Sports
 
A BR Sports é especializada na gestão de marcas esportivas e busca tornar-se a maior representante do segmento no Brasil. Criada em 2015 a partir da aquisição das marcas Topper Brasil e Rainha, a empresa pertence a Sforza Holding, gestora de investimentos do empresário Carlos Wizard Martins. Hoje, a BR Sports também representa as marcas Saucony e Hickies no Brasil.

Desemprego enaltece busca por franquias baratas e lucrativas

 

turismo é um dos segmentos com maior força no Brasil. O resultado dos seus desdobramentos se reflete até mesmo no empreendedorismo, que pega carona no setor e deslancha ano após ano. O franchising, por exemplo, é um sistema que sempre apresenta bons números vinculado ao turismo.

 

Dados divulgados pela ABF (Associação Brasileira de Franchising) evidenciam essa realidade. De acordo com a pesquisa, Hotelaria e Turismo, apresentou o 2º maior faturamento (14,6%) no segundo trimestre de 2018 em comparação a 2017.

 

A ABF aponta que contribuíram para este desempenho parcelamentos e promoções promovidas pelas redes de franquias para manter suas vendas. A elevação do dólar impactou as empresas, porém ela foi parcialmente compensada pela venda de pacotes e destinos nacionais.

 

Influências externas

 

Henrique Mol é diretor executivo da Encontre Sua Viagem, franquia especializada em serviços de turismo. Para ele, questões de promoção e parcelamento, de fato, foi uma opção que deu uma alavancada na venda dos serviços. “Estamos adotando essa medida desde o ano passado. Por conta da economia, essas estratégias foram essenciais para motivar o brasileiro a viajar”, explicou.

 

O empresário conta que as viagens não deixaram de acontecer, o que aconteceu é que houve uma adaptação. Hoje os destinos mais procurados são nacionais ou em países vizinhos - principalmente a Argentina e Chile - os dias de viagens diminuíram e a data está sendo planejada com bastante antecedência.

 

“Ou seja, vemos que as pessoas estão se programando para viajar e analisando prováveis lugares que geram menos custos, porém que ofereça uma experiência extremante prazerosa. Claro que com esse comportamento, nós tivemos que nos adaptar. E por conta disso, passamos a oferecer pacotes mais enxutos e que se adaptasse à necessidade do turista”, conta.

 

Diante de um cenário de incertezas, a franquia se manteve estabilizada, e conquistou um crescimento de 15% neste primeiro semestre em comparação com o mesmo período do ano passado.

 

Negócios não param

 

A geração de negócios também não para. Nesse quesito a Encontre Sua Viagem também apresentou progresso. O empresário acredita que a alta do desemprego vem contribuindo para essa questão. Ele explica que diariamente acompanha interessados que buscam por franquias baratas e lucrativas para alcançarem uma renda mensal ao fim do mês.

 

A alta do desemprego vem impulsionando a abertura de negócios. O mercado está difícil, poucos conseguem vaga de emprego. Com isso, o brasileiro visualiza nas franquias uma oportunidade de renda. E o turismo, por ser um segmento que está sempre em alta, acaba sendo uma das principais escolhas. Esse ‘sucesso’ dá mais segurança para o investidor”, explica.

 

Índices

 

De fato o desemprego ainda é uma realidade por aqui. No primeiro trimestre desse ano foi registrada uma média de 12,9%, de acordo com o IBGE (Índice Brasileiro de Geografia e Estatística). O índice subiu em relação ao trimestre anterior (12,2%), porém, apresenta uma melhora na comparação com o mesmo trimestre do ano passado (13,6%). Apesar de ser uma notícia boa, o porcentual de crescimento ainda é muito pequeno, o que justifica o crescimento de negócios por necessidade.

 

Negócio de baixo investimento

 

A marca Encontre Sua Viagem possui modalidades de negócios com foco apenas em microfranquias. Na modalidade home office, o investimento é de R$7 mil, inclusos capital de giro e taxa de franquia; o prazo de retorno é a partir de três meses e lucratividade de R$3 mil a R$7 mil. Já o modelo Loja Física, o investimento é de R$40 mil, somados a taxa de instalação, capital de giro e taxa de franquia, prazo de retorno a partir de 12 meses e lucratividade de R$15 mil.

 

Mesmo ambas sendo relativamente do mesmo parâmetro (micro), Henrique conta que a franquia home office vem sendo a aposta do público investidor. “Hoje 80% da nossa rede é composta por essa modalidade. Vimos nesses últimos tempos, um crescimento muito grande nesse sentido. Das 55 franquias vendidas em 2018, 45 são home”, falou.

 

baixo investimento somado aos custos reduzidos são os maiores propulsores da venda dessa modalidade. Segundo Henrique, diversos gastos podem ser drasticamente reduzidos, como: manutenção do ponto comercial, alimentação em restaurantes, transporte, etc. “Os custos essenciais são mesmo com internet e telefone. O que é bem pouco comparado a um local que exige mais estrutura. Para quem está precisando de dinheiro, é a garantia de comida à mesa e contas acertadas”, finaliza.

 

 

 

Sobre a Encontre Sua Viagem

Sob o comando do empresário Henrique Mol, a Encontre Sua Viagem nasceu no final de 2011, em Belo Horizonte (MG). A franquia especializada em turismo possui mais de mil parceiros, contemplando 150 mil opções de hotéis e cerca de 95% de todas as companhias aéreas do mundo. Tem atuação por todo o Brasil por meio de mais de 500 franqueados. Com dois modelos de negócio, Loja Física e Home Office, a franquia oferece desde passagens aéreas, a pacotes de viagens e locação de veículos. O negócio se encaixa no modelo de microfranquias e a partir R$7 mil já é possível se tornar um franqueado.

POR QUE COMPRAR UMA FRANQUIA ESTRANGEIRA PODE SER UMA GRANDE OPORTUNIDADE?

 

"O Brasil ainda é muito fechado para redes estrangeiras, que representam menos de 5% das redes franqueadas do país. Em países mais desenvolvidos, esse número chega a 20%"

Leia matéria completa na seção #Artigo de nossa #RevistaOnline! Páginas 26-27!

1 a cada 4 empresas fecha antes de completar 2 anos no mercado, segundo Sebrae

Para Denise Dip, diretora publisher da REVISTA FRANQUIA, que atua no mercado de franquias há mais de 20 anos, esse número tem se mantido estável e desde que começou a conhecer as operações em redes de franquias, a taxa de mortalidade de uma unidade franqueada é inversamente proporcional à estatística retratada pelo Sebrae, desde então.
"O Brasil é um país que respira o empreendedorismo. Não seria exagero dizer que, no mínimo, oito em cada dez brasileiros já sonhou em ter um negócio próprio. Quando esse sonho é concretizado pelo canal de franquias, dentro dos segmentos de negócios já testados, para ser implantado são trabalhados conceitos de gestão, aplicação de critérios e planos de marketing já moldados para as necessidades do púbico alvo que já foi classificado e reconhecido, e só precisa ser adaptado à região onde vai ser inaugurada a unidade, é muito mais provável que tenha longevidade. O único 'perigo' do sistema de franquias está para aqueles empreendedores que acreditam que não há 'trabalho e suor' envolvido nesse plano, já que a receita vem pronta pelas mãos do franqueador. Mas, mesmo esse empresário desavisado será informado, na fase de treinamento, que, obrigatoriamente, antecede a operação do negócio: não existe fórmula mágica que leva ao sucesso, sem o tempo mínimo para alcançar resultados ou sem trabalho duro envolvido. Empreender é insistir antes de desistir. Com o apoio da rede franqueadora, dificuldades vão sendo sanadas por caminhos já trilhados e soluções desenvolvidas nesse percurso. O franqueador mantém o negócio vivo, inovador, embarca experiência e diariamente foca em abrir novos caminhos para a rede."
 
O franqueado foca na sua operação, usa do knowhow oferecido, vive as mudanças que o cliente exige, trabalha junto com seus pares na rede essa visão da ponta e juntos, fortalecem o negócio e a marca. Esse círculo virtuoso garante o percentual de longevidade que o Sebrae reconhece como 4 para 1 (inversamente proporcional aos números de negócios fora do sistema).
 
Como diria, um dos ícones do franchising brasileiro, ex-presidente da ABF seccional Rio, Beto Filho; 'avanti franchising'.
 
Veja, abaixo, dicas de como o domínio de ferramentas online pode ajudar no seu negócio
 
 
 
 
 
O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) liberou um relatório preocupante sobre o percentual de sobrevivência de empresas no Brasil. De cada 4 empresas abertas, 1 fecha antes de completar 2 anos de existência no mercado.

Pode-se listar diversos motivos que levaram a essa grave estatística nacional, entre eles: a crise política e a extrema burocratização.

Porém, um dos maiores problemas enfrentados pelo empresariado é, sem sombra de dúvidas, a dificuldade de planejar e executar ações de marketing, especialmente as que envolvem o meio digital.

Segundo dados do Sebrae, a idade média do empreendedor brasileiro é de 44,7 anos, ou seja, para muitos, a internet ainda é vista como uma fortaleza selvagem, dificultando ações mais específicas no meio on-line.

Outro ponto que influencia é o tempo médio de escolaridade: 34% dos empreendedores têm Ensino Fundamental incompleto. 

Logo, em um mercado tão competitivo e desafiador, é necessário se destacar com conhecimentos mais específicos, especialmente no Marketing Digital, que hoje é um divisor de águas em qualquer tipo de negócio.

"Boa parte das pessoas com as quais eu converso acredita que Marketing Digital é o mesmo que redes sociais. Isso é alarmante, porque existem muitas outras estratégias extremamente lucrativas, além de Facebook e Instagram", revela Victor Palandi.

Aos 23 anos, o jovem empreendedor coleciona CNPJs. Desde cedo, empreende na internet e nunca teve um emprego formal.

"Eu nasci envolto de tecnologia. Meu pai trabalha na área de TI há 27 anos. Eu nem era nascido, e ele já fazia programas", brinca.

Segundo Palandi, uma das habilidades mais importantes no campo das vendas on-line é Copywriting.

Em uma definição mais simples, trata-se da arte de persuadir com palavras. Hoje, as empresas investem em preço mais baixo, panfletagem e diversas outras estratégias, porém, não dão a devida atenção à qualidade da comunicação.

"Veja comigo: se uma empresa vai criar um site, precisa que o mesmo seja escrito de uma forma que convença o leitor a pedir um orçamento ou fazer uma ligação. Saber expor as informações mais importantes de forma precisa e persuasiva é o segredo para se destacar com o Marketing Digital", garante Victor Palandi.

Pesquisando mais a fundo sobre o tema, nossa redação encontrou muito material em inglês, mas poucas informações em português.

Em terras tupiniquins, essa ainda é uma habilidade que os empreendedores não dão o devido valor.

Segundo o Victor, essa é uma situação grave. "Gastar dinheiro em anúncios que não geram resultado nenhum é um grande desperdício. Toda estratégia de Marketing Digital deve ter Copywriting caminhando de mãos dadas. Palavras convencem. Palavras vendem".

O maior evento de Copywriting do Brasil, chamado KopyFest, é organizado por uma de suas empresas.

Em 2017, cerca de 200 pessoas se reuniram em São Paulo para aprender mais sobre o assunto. Já em 2018, o objetivo é superar a marca do ano anterior e dobrar o público. Para isso, o Teatro Fecap, localizado no bairro da Liberdade, foi o lugar escolhido como sede do evento.

"Convidamos palestrantes que já venderam mais de R$ 300 milhões pela internet usando estratégias de Copywriting e Marketing Digital. Eles vão compartilhar muito conteúdo de extremo valor para empreendedores do Brasil inteiro. Estou empolgadíssimo!", conclui.

Cerca de 60% dos brasileiros dizem estar preparados para abrir um negócio. Porém, é importante que estejam preparados também para estudar e investir em conhecimento.

Copywriting é uma dessas habilidades que o empreendedor deve adicionar na lista de prioridades dos estudos, porque tem o potencial de aumentar o faturamento e levar seu negócio para o próximo nível.

Dessa forma, cada dia mais empresas superarão a marca dos 2 anos de existência, prosperando em um Brasil incerto e instável.

 

PRÓS E CONTRAS DE SE INVESTIR NO MERCADO DE ALIMENTAÇÃO

 

 

"O segmento de alimentação é um dos que conseguiram driblar a crise e, se você colocar na ponta do lápis os prós e os contras, vai perceber que essa é uma das melhores opções para quem tem apetite de bons negócios"

Acesse e leia matéria completa na página 24 de nossa Revista Online!

Copyright © 2018 - Revista Franquia